Por vezes sinto falta do sentimento de liberdade

Quando isso acontece, fecho os olhos e lembro de momentos em que contemplava o horizonte e sentia o vento no rosto, como se estivesse no alto de uma montanha, e a sensação de liberdade vem!

Mas como me sentir sempre assim?

Foi isso que me questionei hoje e compartilho com você.

Adoro gatilhos mentais, são curativos para muitas das minhas dores ou vacilos emocionais, mas prefiro quando estou equilibrada, sem precisar muito deles.

Então, como ter este sentimento de liberdade duradouro?

A resposta para todo TER, para mim, é sempre: primeiro SER.

Para ter o sentimento de liberdade tenho que ser livre, parece obvio, mas oh exercício mental que tenho que fazer todo tempo!!!

Ser livre é complexo e trabalhoso

Tenho que estar muito consciente da minha essência, das minhas reais motivações, dos meus valores.

O caminho é o trabalho constante de autoconhecimento.

Ser livre é viver a minha verdade, mesmo em situações adversas tenho que estar lembrar de quem sou e ser resiliente, mantendo minha essência apesar do ambiente.

Quando não vivo minha verdade me sinto solitária, como “uma folha ao vento entre as vontades alheias”, como diz Hammed em Renovando Atitudes.

Viver a minha verdade me acolhe, fazendo me sentir viva e pertencendo a mim mesma e ao todo.

Minha autonomia está ligada ao meu grau de autoconhecimento, devo viver a verdade: sendo, sentindo, pensando e agindo de acordo com minha essência.

Para isso devo tomar decisões que por vezes não agradarão a todos. É deixar de ser dependente emocionalmente do outro, sem medo de ficarmos desamparada.

“O sentimento de liberdade indica que você de fato está evoluindo. Mesmo que, muitas vezes, você ainda não possa reconhecer a liberdade (porque está em fases anteriores, aprendendo a reconhecer a responsabilidade pelos seus erros e liberando sentimentos) você está crescendo, mas não está percebendo que está evoluindo. A percepção da evolução está no sentimento de liberdade. A liberdade traz alegria e tudo o que você quer é sentir alegria. Mas, não a alegria relacionada a uma conquista qualquer, porque esse tipo de alegria passa muito rápido.”

Sri Prem Baba – Flor o Dia de 03/04/2012

Cuidado com a falsa liberdade

Levo tudo no meu tempo, dentro das minhas possibilidades emocionais, sem forçar a barra!

Sempre suspeitei de quem me agride com sua liberdade de ostentação e agressividade. Originalidade demais, feliz demais e perfeito demais!

Gosto das coisas leves e naturais…

Como amo esta frase de Hammed em As Dores da Alma:

“Ser nós mesmos é viver na própria “simplicidade de ser”, libertos da vaidosa e dissimulada autossatisfação, que consiste em fazer gênero de “diferente” perante os outros, a fim de ostentar uma aparência de “personalidade marcante”.

Minhas armas para a liberdade

maria-te-viu-sentimento-de-liberdade

Avaliei o que tenho feto para sustentar minha independência e compartilho com você.

Planejar! Minha vida, meu ano, meu mês, minha semana, meu dia!

Ter claros meus valores, objetivos e estratégias para alcança-los.

Executar o planejado com coragem e ser realista quanto aos resultados.

Somente assim consigo ter a cada dia uma versão melhorada de mim mesma, porque essencialmente, sozinha ou numa multidão, serei sempre eu.

Cada dia mais, busco minha vontade, sem agredir ao outro e dentro da minha verdade, sem submissão ao outro com objetivo de agradar a tudo e a todos.

A repressão e o respeito ao outro

Sei que em alguns casos pessoas são tolhidas de sua liberdade, por vezes no mais básico, como o direito de ir e vir, à saúde ou à educação.

Claro que o tempo todo estou aqui escrevendo a meu respeito, que não passo por estas limitações.

Meu coração fica apertado e sofro por empatia a dor daqueles que não podem se expressar e cabe um outro longo e profundo post sobre isso…

Outro aspecto é deixar claro que luto e lutarei permanentemente pela minha liberdade, mas sei que ela tem um limite, que é a autonomia do outro.

“Minha liberdade vai até onde começa a do outro.”

Ditado popular

Sabe onde sou completamente livre?

Nos meus pensamentos, por isso tenho que vigiá-los. Mas também não devo parar por aí, cabe o trabalho árduo de autoconhecimento para conquistar a cada dia mais autonomia externa.

Meu resumo destas reflexões todas:

05 dicas para conquista definitiva da liberdade

1. Autoconhecimento
2. Planejamento
3. Coragem apesar do medo
4. Resiliência
5. Respeito (ao seu tempo, sem ansiedade, OK? E ao próximo)

Mantra do dia

A minha liberdade depende de um olhar atento, verdadeiro e permanente para o meu interior.

O que é ser livre para você?
Acredita no autoconhecimento como ferramenta e caminha para sua autonomia?
Comenta aqui embaixo!!!

CONTE SUA HISTÓRIA PARA A MARIA TE VIU!

COMENTE

Por favor, digite seu comentário

Por favor, digite seu nome aqui