Por que não conseguimos perceber ou aceitar os defeitos de quem amamos?

Que conceito é esse de que nosso objeto de amor é irretocável, imexível, sempre perfeito.

Todo mundo ama alguém, todos. OK, talvez os psicopatas não, mas estamos falando de nós meio normais. Amamos um pai, uma mãe, um companheiro ou companheira, um filho, um amigo, um parente ou até um animalzinho.

E podem ter certeza esse amor não precisa ser sem a frase: “Eu amo mas ….”, aliás é essa percepção do imperfeito que constrói o amor verdadeiro. O amor maduro, de aceitação e de crescimento.

Amar é olhar o outro de verdade, com todos os seus defeitos e ainda assim continuar amando-o, por que enfim quem de nós não tem defeitos, certo?

Lembro de quando uma amiga querida me disse: “ as qualidades dos homens quando se casam viram defeitos, e os defeitos só pioram” affff será verdade?

Rimos muito na época, e hoje ela tem quase 40 anos de casada. Como conseguiu? Aceitando pequenos “defeitos” do dia a dia, aprendendo que o que ela não gostava nele, não era muito importante ou relevante frente ao que sentiam e as coisas que viviam juntos.

E essa é a parte difícil, perceber o defeito do outro, ou aquilo que nos incomoda e continuar amando-o.

Quer aprender?

Observe uma mãe, preste atenção no amor de mãe. Esse amor incondicional, onde tudo é permitido, nada é errado o suficiente, um amor que pode se tornar perigoso, se nunca corrige e está sempre lá intacto.

O grande segredo não é deixar para lá , e sim apontar os erros, ajudar na retomada do caminho mais adequado, no auxilio de uma mudança de idéias ou conceitos, e não passar sempre a mão na cabeça. E não se engane são os que nos amam de verdade que dão suas opiniões sinceras, que estendem suas mãos, os outros simplesmente se afastam.

E com clareza no olhar, com o coração aberto amar, amar muito, amar mais, mesmo sabendo que é muito difícil aceitar o defeito do outro, naquele que são nossos produtos, os filhos, ou nossos parceiros de caminhada na vida.

Amar é antes de tudo perdoar , relevar, permanecer junto, estar ao lado, não por que o outro não tem defeito mas por que suas qualidades ultrapassam em muito o negativo.

Nós temos nossa sacola de defeitos e esperamos que alguém que nos ame ajude a carregá-la para que o peso seja menor e que nos mostre como ir nos melhorando a cada dia.

Amar é perceber o outro por inteiro!

CONTE SUA HISTÓRIA PARA A MARIA TE VIU!

COMENTE

Por favor, digite seu comentário

Por favor, digite seu nome aqui