Você já deve ter lido nas redes sociais,

você prefere ser feliz ou ter razão?

Alguns podem encarar como bobagem, mais uma frase bonita para compartilharmos e ganharmos muitos likes e coraçãozinhos.

 

Para mim foi mais uma frase de efeito

Tem coisas que quando ouvimos complicam nossas vidas, isso porque nos tiram da zona de conforto e nos fazem refletir.

Acho que isso acontece quando já estamos prontos para encarar, porque se não, não daríamos o devido valor, ou acharíamos mesmo bobagem.

Foi assim, para mim, quando ouvi sobre perdão:

O fraco jamais perdoa: o perdão é uma das características do forte.

Mahatma Gandhi

 

Ou sobre gratidão:

A gratidão é o único tesouro dos humildes.

William Shakespeare

 

Mas voltando à nossa questão…

Muitas vezes fui levada a enfrentar situações conflituosas, como negociações no trabalho, separação, más interpretações de amigos, fofocas, até pequenos desentendimentos dentro de casa.

Aquelas pequenas coisas que vão se acumulando, acumulando, até explodir….

Lembro que quando era mais jovem, defendia e discutia todos os meus pontos de vista e em situação de injustiça, fazia de tudo para que as coisas terminassem como eu achava justo.

Ainda sou assim, mas…

 

A vida é sábia, ela vai nos ensinando

Uma vez briguei feio com uma amiga, era minha melhor amiga. Ela me falou inverdades, deduções a meu respeito sem pé nem cabeça.

Nem me lembro ao certo qual era o assunto, para você ver a importância, mas ela distorceu tudo, e mesmo eu argumentando e explicando, ela não abria mão do ponto de vista dela.

Conclusão? Acabamos brigando, lembro de eu sair da casa dela vermelha e suando de raiva e depois chegando na minha casa, com a adrenalina mais baixa, chorando, chorando e chorando.

Éramos jovens e orgulhosas e nunca nos desculpamos, nunca voltamos a nos falar. Perdi minha melhor amiga na época.

Da parte dela não sei, mas da minha, foi tudo porque não quis abrir mão de estar certa, eu sabia que o que ela dizia não era verdade, minha verdade.

O “estar certa” me custou uma amizade!

 

Ainda não foi aí que eu aprendi

A Paladino da justiça precisou defender sua “verdade” outras vezes.

Certa vez perdi um bom estágio, por que defendi a verdade para um gerente, da mentira de seu braço direito.

Outra vez tomei um empurrão na fila e cai feio no chão após defender a verdade de um bruta montes que tinha furado a fila.

E a pior de todas foi quando perdi um namorado que eu amava, meu primeiro namorado…

Estávamos no colegial, hoje ensino médio, eu no segundo e ele no terceiro ano.

Era muito apaixonada por ele, muito, muito, que até doía! Namorávamos e era tudo tão bom e perfeito… Ele era maravilhoso comigo.

Um dia saímos com um casal de amigos e durante a balada ele terminou comigo.

Meu mundo ruiu completamente, achei que ia morrer.

Tínhamos muitos amigos em comum, então o via em todos os lugares, sempre sozinho, sempre me cuidando com o olhar.

Nos lugares que não era convidado, fica na porta. Isso era comum na época, as pessoas da turma que não eram convidadas para uma festa ficavam na porta, queriam participar de qualquer jeito.

Mas quando ele foi no meu aniversário sem ser convidado, pirei!

Passaram-se alguns meses assim, eu triste, ele sozinho me cuidando, não nos falávamos, até que ele apareceu na minha casa para conversar.

Veio todo meigo, muito fofo me pedir novamente em namoro e eu…. A Paladino da justiça, precisei falar não, porque não era justo o que ele tinha feito.

Conclusão da história? Era o último ano dele na escola, aos poucos foi se afastando e nunca mais o vi.

Até hoje meus olhos enchem de lágrimas quando lembro desta história. Poderia ter sido apenas mais um namoro de adolescência, mas nunca vou saber.

Sempre vai ficar na minha memória e história de um menino que eu amava e deixei ele ir.

Depois de um tempo uma amiga dele, que não gostava muito de mim, acabou me jogando na cara que ele havia terminado tudo por uma exigência do pai dele.

Nada de namoro enquanto não entrar na faculdade.

Caso seja verdade, não deve ter me contado por vergonha.

Perdi minha felicidade, por preferir a razão, ou traduzindo melhor, por orgulho e falta de comunicação.

No decorrer da vida ainda houveram outras perdas, mas não há muito tempo aprendi, e quando vem este senso de justiça, ou a necessidade de defender meu ponto de vista, sempre me pergunto o que é melhor, ser feliz ou ter razão?

 

Quero deixar bem claro que continuo sendo uma Paladino da justiça

Não acho que ser feliz e ter razão são coisas antagônicas, em muitas ocasiões podemos ser felizes com razão.

Mas numa situação de conflito, principalmente onde o ego e o orgulho estão lá pulsando, aprendi a parar.

Respirar e fazer muitas perguntas:

Neste caso cabe mesmo chamar a Paladino da Justiça?

O que estou pondo em risco?

O que posso perder?

Vale a pena?

Esperei todos acalmarem para conversar?

Eu soube me comunicar?

Etc…

 

CONTE SUA HISTÓRIA PARA A MARIA TE VIU!

 

 

COMENTE

Por favor, digite seu comentário

Por favor, digite seu nome aqui