O que acontece quando somos feridos e não perdoamos?

Convivemos com a raiva, o medo, o nojo e a revolta…

Sei que dores não são comparáveis, cada uma tem seu tamanho e importância, e repercutem, cada uma, a seu modo.

Mesmo assim, o remédio é o mesmo, o perdão.

OK, neste momento, imagino, que já está me questionando: fácil falar, queria ver se fosse com você!? Como perdoar? Como esquecer?

Viu? Sei, porque já me senti assim inúmeras vezes!

Minhas maiores dores

De todas as dores, as minhas maiores, foram, sem dúvida, as relacionadas a perdas.

A morte de quem amava profundamente, a separação, a perda do emprego, a parceria que não deu certo, o projeto que mingou até acabar…

E sempre me revoltei, procurando um culpado e sentindo muita raiva e revolta. Lembro que minha primeira revolta foi com Deus.

Como podia ter levado embora alguém que amava tanto? Era do bem e era incrível?! Todos o amavam, como podia?!

Depois a mágoa foi depositada no ex-marido, no ex-chefe, no ex-amigo, em todos aqueles que roubaram meus sonhos e destruíram minhas expectativas.

A perda, no fundo é isso, é afundar com todas as suas expectativas e planos e dizer para você que sua vida terá que tomar novo rumo.

Com isso tudo eu era um poço de mágoas

Comecei a entrar em depressão, não conseguia forças para me reerguer, sentia dores e doenças começaram a aparecer.

As pessoas que me magoaram? Ah, estavam bem, vivendo suas vidas como se eu não existisse, e eu amargurada.

Deus não esqueceu de mim, mesmo com minha revolta!

Quando não aguentava mais com o peso dos sentimentos negativos, Ele me mostrou que poderia encontrar respostas na espiritualidade.

Foi assim que ouvi pela primeira vez, sobre a importância do perdão para a cura dos ressentimentos e para o desenvolvimento de qualquer ser humano.

Como ainda vivia no mundo das expectativas, não entendia como poderia perdoar, já que não conseguia me livrar das dores.

A dor estava lá presente, era real, não seria perdoando que iria me livrar dela! Seria?!

Depois de muito estudo e exercícios, com” zero” de resultado, por anos, quando já nem mais preocupava com este assunto, me encontrei com um dos meus “ex’s”.

Neste instante percebi que não tinha mais mágoa, nem raiva; notei também que não tinha esquecido o ocorrido, e isso ainda me causava indignação.

Então, agora vivendo e não mais supondo através de expectativas, pude constatar que perdoar não é esquecer, que perdoar não é perder a indignação.

Um novo horizonte se abriu

Hoje, com a prática do perdão, entendo que, mesmo quando a dor ainda está comigo, posso e devo perdoar o causador, e isso não quer dizer que iria confiar, ou mesmo que minha dor seria curada.

Ressignifiquei o sentido de perdão, e mais, pude me perdoar também.

E todos aqueles sentimentos de conflito que viviam invadindo minha mente, escurecendo meu coração e pesando nos meus ombros, foram embora.

Experimente a prática do perdão!

Quando perdoei e me livrei dos maus sentimentos, abri espaço na minha vida, no meu coração e direcionei minha energia para coisas boas.

Me curei! Mesmo ainda sentindo dores.

Minha vida se transformou quando aprendi a perdoar, nem sempre é o caminho mais fácil, mas, com certeza, é o mais recompensador.

Sempre que perdoo verdadeiramente, minha vida flui e sinto que evoluí um tantão a mais espiritualmente.

A verdade sobre o perdão! Leia quantas vezes for necessário:

Perdoar não é confiar!
Perdoar não é esquecer!
Perdoar não é negligenciar a justiça!
Perdoar não é ser apático com os erros alheios!
Perdoar não é aceitar de forma pacífica tudo o que os outros nos fazem!
Perdoar não é aceitar agressões, abusos, manipulações ou desrespeito!
Perdoar não é conviver!
Perdoar não é ser conivente com atitudes erradas!
Perdoar nem sempre é se reconciliar com quem causou a dor!
Perdoar não é parar de sentir dor!
Perdoar não é diminuir o erro do outro!
Perdoar não é esperar por um pedido de perdão!
Perdoar não é reprimir mágoas!

Tudo começa pelo auto perdão!

Quando perdoo me liberto, porque enquanto me ressinto, continuo preso a quem me fez mal!

Acolhendo seus sentimentos, os aceitando com compaixão e refletindo sobre eles, caminho para o perdão, para a gratidão, para a verdadeira felicidade e muito mais.

Perdoe, mas nunca perca a indignação! Lembre-se: perdoar não é esquecer!

CONTE SUA HISTÓRIA PARA A MARIA TE VIU!

2 COMENTÁRIOS

  1. Oi Sandra, boa noite!?
    Que texto maravilhoso, a leitura que estava precisando para encerrar essa terça, ou começar a quarta-feira, tendo em vista o adiantado da hora. Obrigado!
    Surpreso de conhecer esse seu lado literário, o qual gosto muito e não tenho a mesma competência, mas que me faz muito bem quando consigo sentar e escrever algumas poucas linhas.

    Sucesso sempre.

    • Oi Fernando, dá para acreditar que nos conhecemos trabalhando na área financeira?! Você é um artista, fotografa e escreve (surpresa por isso também)!
      Gratidão por suas palavras, você me fez sentir que estou no caminho certo!

COMENTE

Por favor, digite seu comentário

Por favor, digite seu nome aqui