Existem muitas técnicas de meditação, a maioria benéfica e para o gosto e conforto de cada praticante.

Como escolho as minhas práticas meditativas?

Experimentando!

Abaixo alguns exemplos do que já provei, sem dar nome às técnicas:

  • Em lugares de absoluto silêncio
  • Com mantras
  • Olhando para uma mandala
  • Olhando para a chama de uma vela
  • Olhando para um mestre, como Shri Mataji Nirmala Devi
  • Com representações dos elementos da natureza (vela, incenso, água e pedra)
  • Por longos períodos
  • Vários períodos curtos ao longo do dia
  • Fazendo afirmações
  • Com projeção astral
  • Limpando completamente a mente
  • Sendo conduzida
  • Para uma intenção
  • Ativa
  • Yogas
  • Relaxamento

Sei que para os mais técnicos estou misturando tudo, pondo no mesmo balaio o que alguns não consideração meditação.

A intenção aqui é dar a minha contribuição, dizendo que o melhor que regras e técnicas, é a prática.

Depois de um tempo meditando com frequência, entendi que a meditação é como um alimento, preciso da meditação como um combustível.

Esta semana fui desafiada para uma nova prática

Com uma afirmação: o que é que eu preciso ver que não estou vendo?!

A prática é simples, digo em voz alta ou mentalmente a frase, com verdadeira intenção de obter respostas e medito em silêncio, pelo menos por 15 minutos.

Saindo da primeira sessão já me veio, mais que um insight, uma personificação do autoconhecimento.

Foi como se esta busca, tão importante nas nossas vidas, a busca eterna do autoconhecimento, estivesse na minha frente como uma pessoa e com voz própria.

Ela  me mostrou o quanto que todas as respostas, para todos os meus sofrimentos e dilemas estão em mim, partem de mim e estão inteiramente sob minha responsabilidade.

Veio claro, mais do que nunca, que eu crio a minha realidade, dando sabores doces ou amargos à vida, conforme o estado que eu me coloco ou da intenção que deposito nos meus atos.

O quanto que as pessoas com que convivo podem ou não me agregar valor ou me incomodar, a partir das minhas expectativas, desejos ou dores.

Foi como uma longa viagem vivida em segundos, e quando tive consciência do poder daquela invocação, precisei compartilhar com você.

O que é que eu preciso ver que não estou vendo?! É também uma invocação da plena presença, da coragem e da ação.

Preciso estar lá inteira, aceitando o que vier, sem esperar que mude e continuar meu caminho dando o meu melhor.

O melhor, por vezes é parar e por outras é correr o mais rápido que consigo. É me reposicionar, mudar ou ratificar minhas atitudes.

Continuei praticando

E constatei que é simples e ao mesmo tempo completa em si mesma.

Minha sugestão?

Viva esta experiência!

Irá revelar, em capítulos, a sua história, que somente seu inconsciente conhece, a respeito de você mesmo.

Porém…

Terá que aceitar que tudo o que você vê fora é o que tem dentro, e que a vida acontece somente no agora!

 

P.S.: Antes que me pergunte, além desta meditação, as práticas meditativas que nunca abandono são: da atenção à respiração, a de absoluto silêncio e a da invocação do OM.

P.S.S.: Leia aqui os benefícios com a meditação.

CONTE SUA HISTÓRIA PARA A MARIA TE VIU!

 

 

 

COMENTE

Por favor, digite seu comentário

Por favor, digite seu nome aqui